IZI logo
IZI logo
capa do post

Cesta básica x alta dos preços; Como manter o cliente?

Todos os posts

Manter os lucros nos dias de hoje está cada vez mais difícil, ainda mais quando temos altos índices que comprovam o aumento dos alimentos principais que uma família precisa.

Para ser exato, segundo aponta a Pesquisa Nacional de Cestas Básicas de Alimentos, desenvolvida pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em nota à imprensa, revelou que, em outubro de 2021, dezesseis cidades tiveram aumento nos preços dos produtos alimentícios que formam uma cesta básica. De fato, cruzar os braços para o que tem feito milhares de famílias diminuírem seus alimentos em prol da economia, deixando muitas vezes de consumir itens mais caros, torna-se preocupante para os negócios. Portanto, fica a pergunta: como vender mais em meio a alta dos preços dos alimentos indispensáveis no Brasil? Entendendo como funcionam as estatísticas relacionadas ao seu público e ao seu negócio, sem dispensar, também, novas estratégias baseadas nas pesquisas inteligentes.

Para tomar atitudes inteligentes, afinal, é o que se precisa quando estamos sendo postos de frente a desafios, é necessário avaliar o terreno. Entenda de onde os aumentos vêm, como impactam o mercado e consequentemente o consumidor final, o tornando impossibilitado de comprar mais dos seus produtos.

Pandemia, inflação e novos hábitos de consumo.

Primeiro de tudo: o aumento. Em entrevista ao blog de notícias econômicas e políticas, Politize!, a economista e coordenadora da Pesquisa Nacional de Cestas Básicas de Alimentos, Patrícia Costa, declarou que os três pilares de aumentos relacionado aos alimentos foi a desvalorização do real, as mudanças nos hábitos de consumo e o aumento da inflação, sendo tudo resultado da Pandemia da Covid-19 tendo início, no Brasil, em 2020.

Ainda em entrevista ao Politize!, Costa afirma que o equilíbrio entre a exportação e o armazenamento de alimentos para o consumo da população local é um dos fatores que ajudam a estabilizar os preços dos alimentos, mas o cenário de crise que o Brasil vivencia está tornando todo o processo, desde a produção até o consumo final, mais caro; chegando aos preços observados nos mercados e estimulando novos hábitos.

Entendendo o seu negócio.

Toda empresa de pequeno, médio e grande porte deve contar com uma organização financeira, além de análises de dados relacionados aos produtos que chegam, que saem e que permanecem no estoque. Para fazer isso, você precisa ter muita desenvoltura para lidar com números e observar detalhe por detalhe, sem deixar passar nada. A outra maneira de fazer isso é obtendo um sistema de análise inteligente, no qual, faz parte de toda a empresa, desde o estoque até a boca do caixa. Ficar atento a todos os dados é a ferramenta mais valiosa para entender onde o negócio precisa de mudanças, de um olhar mais refinado.

Segundo o blog da Startup IZI, uma empresa de análise de dados para marcas de varejo, desenvolvida para ajudar a desenvolver negócios com o um sentido de dados inteligente, que analisa todos os números da empresa, afirma sobre a importância de um sistema como esses para a mudança de posicionamento e tomada de novas estratégias baseada na averiguação de dados. Eles apontam no blog que:

“Parte de se tornar um varejista orientado a dados envolve olhar para a eficiência de cada área do negócio e de cada canal de marketing. Isso pode ajudar a reduzir os gastos, pois as áreas que não apresentam desempenho podem ser otimizadas, modificadas ou eliminadas. Isso se estende dos canais de marketing às lojas cujo desempenho está no vermelho.”

Entendendo o seu público.

Do que adianta ter uma análise de dados eficiente e não entender como o seu público está para trabalhar em cima disso? Por isso, estar ligado às condições financeiras, as mudanças de hábitos tomadas pelo seu consumidor, pode contribuir para a sua pesquisa estratégica. Embora a maior parte do seu público esteja sendo afetado pelas altas nos preços, ele ainda precisa dos seus produtos para se manter. É certo de que ele vai continuar comprando, afinal, segundo o filósofo e economista Adam Smith “o consumo é a única finalidade e o único propósito de toda produção”. O único porém é que talvez não seja de você, mas do concorrente. Para que isso não aconteça, estar ligado a cada detalhe pode fazer você se diferenciar dos demais. Para fazer isso, é necessário estar atento.

As ações.

Dada a lição, as únicas ações que você precisa já estão na sua frente. Empreender não é só ter um produto e esperar com que alguém compre, é tornar o seu produto atrativo aos

olhos de quem o precisa, seja em uma promoção, numa sinalização ou até no descarte de outros produtos que interferem no principal. Se a sua marca está a todo momento procurando novas propostas e interferindo, sempre que pode, nos preços dos produtos essenciais, com certeza terá sucesso nas vendas. Portanto, Preço, Praça, Produto e Promoção ainda são os maiores pilares para se obter leads, e para isso requer muito estudo.


Abraços da IZI




REFERÊNCIAS:

https://www.dieese.org.br/analisecestabasica/2021/202110cestabasica.pdf https://izi.app/ https://www.politize.com.br/o-que-influencia-o-aumento-no-preco-dos-alimentos/

Todos os posts

Compartilhe


Tags