IZI logo
IZI logo
capa do post

Cashback em supermercados

Todos os posts

A palavra cashback vem do inglês e a tradução literal para o português é “dinheiro de volta”. 

Pelo sistema de cashback, a cada compra, um percentual que varia de 1% a 50% do valor do produto volta para uma conta do cliente, segundo critérios definidos pela empresa que decide adotá-lo.

Para o consumidor, o funcionamento nos supermercados é simples. Basta se identificar no caixa fornecendo o número do celular. A partir disso, a pessoa acumula um percentual do valor da compra que é negociado entre as plataformas e cada varejista. Esse número, na maioria dos casos, fica em 0,5%. Menos que isso não é recomendável e o cliente não percebe benefício sem elevar a venda na loja, um dos objetivos do programa.

Imagine que um cliente faça uma compra de R$ 100 e receba 0,5% do total, ou seja, R$ 0,50. Esse valor, que não tem prazo para expirar, é somado ao de outras compras na plataforma utilizada e ao atingir um valor mínimo, diferente para cada plataforma, é possível solicitar o resgate e o dinheiro é creditado pela empresa diretamente na conta bancária da pessoa.

O modelo de negócios é simples: por atrair o cliente à loja, os sites de cashback recebem uma comissão, pois funcionam como uma plataforma de anúncio. Parte desse valor, então, é repassado para o consumidor.

Com mais startups neste mercado, o sistema avançou rapidamente no varejo online. Tudo o que você precisa fazer é instalar um plugin em seu navegador (Chrome, Firefox) e então ativar o serviço sempre que estiver comprando em uma loja parceira.  

As redes de supermercados se apressaram em implementar meios de pagamento digitais de olho no aumento da população recém-bancarizada do país e nos recursos do auxílio emergencial.

Segundo os especialistas, os estabelecimentos viram na pandemia uma oportunidade de expandir suas operações, a partir da liberação de benefícios a trabalhadores informais e da abertura de milhões de contas poupanças sociais digitais pela Caixa Econômica Federal e a busca por serviços digitais cresceu 122% na classe mais baixa, segundo a plataforma de dados Cinnecta. 

A Caixa estima a criação de 30 milhões de contas sociais digitais do tipo poupança para a movimentação do auxílio emergencial.

Usando um aplicativo de celular, o cliente só precisa digitar o valor a pagar, confirmar com uma senha ou uma digital e enviar. Também é possível usar um QR Code sendo necessário apenas ter um telefone conectado à internet para ler o código e confirmar o pagamento. O mercado é avisado poucos segundos depois, já com o dinheiro em conta.

Essa modalidade ainda causa estranheza para alguns clientes na primeira compra, mas na segunda já há a percepção da facilidade em pagar via QR Code.

4 Pontos importantes para implementação de Cashback no seu supermercado

1- Fidelização

Cada vez mais surgem novas soluções que visam ajudar o varejo a fidelizar consumidores e há casos de supermercados em que o tíquete médio dos consumidores que aderiram ao programa é 71% superior ao dos demais. E a venda por esse sistema pode representar até 65% da receita.

2- Margem e estoque

Aumentar a margem bruta de lucro é outra oportunidade que o cashback oferece. Isso acontece porque, em vez de oferecer desconto, o produto é vendido com preço normal. O cliente que adere ao sistema ganha um percentual maior sobre o valor do produto (20%,30%, por exemplo), acumulando mais dinheiro para ser resgatado posteriormente. 

A vantagem para o supermercado é elevar vendas, sem reduzir a margem ou disponibilizar a oferta a todos os consumidores. Outro benefício é acelerar o giro de produtos que estão prestes a vencer. A lógica é a mesma. 

Em vez de reduzir significativamente o preço, interferindo na imagem de qualidade que o consumidor tem do produto, é possível aumentar o percentual de retorno com o cashback.

3- Cadastro na plataforma

Caso os clientes não se cadastrem na plataforma utilizada, é importante identificar os problemas e reunir as equipes de frente de caixa para dar mais explicações sobre a solução. A expectativa do varejista no uso do cashback é de que ele seja notado em até 50% do faturamento em seis meses. 

4- Divulgação 

Os clientes precisam saber da existência da plataforma e a análise dos dados de hábitos de compra gerados pelo programa facilita a criação de ações mais assertivas.

Implementar plataformas de cashback podem permitir maior conhecimento do perfil do cliente e permitir a criação de promoções personalizadas a partir da cesta de compras do consumidor. 

Definir melhor as promoções e evitar descontos exagerados, para não impactar a lucratividade, é o que os varejistas têm procurado. Cabe a cada um avaliar qual é a solução mais indicada para seus negócios e a que está mais alinhada às expectativas da sua clientela.

Nosso compromisso é com o avanço do seu negócio por meio da tecnologia.

E aí, pronto para alavancar seu supermercado?

Abraço da IZI.

Todos os posts

Compartilhe


Tags